top of page
Buscar

Treinamento Energia Solar Shop para Iniciantes

Bem-vindo à primeira edição do E-book da www.energiasolarshop.com.br

Na estreia deste projeto, contamos de forma explicativa e detalhada como

é, afinal, o funcionamento de um sistema de energia solar fotovoltaica.


Com este conteúdo, você entenderá as funções cumpridas pelos produtos

mais presentes no mercado, além das vantagens desses componentes que

dão vida ao sistema fotov


Para o leitor compreender como ocorreu a construção tecnologia sustentável,

também contamos, já no primeiro capítulo,um pouco da história da energia solar.

Quem foram seus precursores na ciência?


Essa é uma das respostas que trazemos no e-book.

Montamos, também, uma linha cronológica da evolução científica da

energia fotovoltaica.


O e-book se encaixa dentro de uma das missões da www.energiasolarshop.com.br

Somos difusores da informação sobre essa inovadora, que veio para revolucionar a

maneira como consumimos energia.

Muito tem se falado nos últimos anos sobre alternativas de geração de energia elétrica de forma sustentável e de baixo custo.


Com isso, a energia solar vem ganhando cada vez mais espaço, seja por conta da

preservação do meio ambiente ou por econômicas, uma vez que a conta de luz,

que é uma maiores despesas de uma casa, pode ser reduzida em até 95% com o uso sistema de energia solar.


Esse sistema de geração de energia é capaz de suprir o consumo de eletricidade de

uma residência e reduzir gastos de forma muito significativa.


Pensando nisso, elaboramos para você esse e-book prático, para que você

saiba tudo o que precisa saber para tomar a decisão de começar a economizar na

energia elétrica agora ou se vai continuar muito com a conta de luz pelo resto da sua vida.

E ainda, você vai saber todas as vantagens e sobre o assunto, para que possa avaliar

com o custo x beneficio de ter um sistema solar fotovoltaico instalado no seu imóvel.



História da energia solar fotovoltaica


Neste e-book, no entanto, vamos resumi-la de forma objetiva, para que você

entenda a origem desta tecnologia desde o século 19 já ensaia seus primeiros

passos. Vamos voltar um pouco no tempo?


Há mais de 250 anos, a luz solar já servia de fonte de energia para fazer fogo e aquecer

casas e água. Ainda se tratava, é claro, de uma utilização rudimentar da energia do sol.


Ali, porém, começava-se a perceber que a luminosidade solar poderia servir para

algo a mais. Não foi à toa que, pouco tempo depois, o físico francês Alexandre Edmond

Becquerel observou pela primeira vez o efeito fotovoltaico.


O físico francês Alexandre Edmond Becquerel criou oficialmente a energia

solar fotovoltaica em 1839, segundo registros históricos.


Ele descobriu que certas partículas poderiam retrair a luminosidade do sol e a transformar em geração de energia.




Oficialmente, portanto, foi ele quem criou a energia solar.

Os registros históricos levam a crer que isso ocorreu em 1839.


Mesmo sendo uma descoberta revolucionária no universo da ciência, a tecnologia foi

no início, como um método futurista. Poucos acreditavam que a energia fotovoltaica

fosse ultrapassar a fronteira dos laboratórios científicos.

Tratava-se de uma tecnologia de altíssimo custo. Até mesmo entre os cientistas havia

um consenso de que a energia proveniente dos raios solares não chegaria a ser utilizada de maneira geral.



Mas isso (ainda bem!) não se confirmou. Ao longo dos anos, avanços na pesquisa

científica fizeram com que a energia solar fosse, aos poucos, sendo difundida.


Descobertas da ciência na área de energia fotovoltaica fizeram, inclusive,

Albert Einstein ganhar seu primeiro Prêmio Nobel, no ano de 1923.


O físico alemão foi o precursor do progresso no estudo do Efeito Fotoelétrico.


Nas pesquisas remanescentes, novos estudos foram responsáveis, também,pela concretização da energia solar como uma maneira real de produzir energia limpa.

Era moderna história da energia solar.


A chamada era “moderna” da história da energia solar começa em 1954. Na época, as

primeiras células fotovoltaicas produzidas tinham alguns problemas técnicos. Mas eles

foram solucionados pela química.


A primeira célula solar foi formalmente apresentada em uma reunião da National

Academy of Sciences, em Washington, no dia 25 de abril de 1954. Já imaginou o

impacto disso naquela época?


Nos últimos anos, as vantagens econômicas da energia solar passaram a ter muito peso. Certamente, os avanços foram muito além do que Alexandre Edmond, o criador

da energia solar imaginou.


Ainda não vivemos o ápice da história da energia solar. Por outro lado, os sistemas

fotovoltaicos já representam uma excelente alternativa para a geração de energia.


A Empresa do setor, como a www.energiasolarshop.com.br já esta consolidada.

O seu diferencial está no atendimento personalizado e acompanhamento muito

próximo ao cliente.

Componentes da energia solar fotovoltaica


Painéis e inversor: o coração e o cérebro do sistema fotovoltaico

Muitas pessoas se perguntam: é muito difícil instalar um sistema de energia solar

na minha casa ou na minha empresa? Não.


Trata-se de um processo simples e rápido. O sistema fotovoltaico é instalado por meio

de dois componentes: os módulos e o inversor.


Os módulos são placas de captação da luz solar instaladas no telhado da sua

residência ou do seu comércio ou indústria.


A quantidade de painéis irá depender do tamanho da demanda energética do local.

Em média, em uma casa padrão, são instalados dez painéis. Os módulos são fixados

em um espaço do telhado que receba maior emissão de luz solar.


Ao produzir sua própria energia, o imóvel pode tornar-se independente energeticamente.


Neste caso, a conta de luz de uma residência, por exemplo, vai para taxa mínima.

Já em um sistema para uma empresa, esta taxa mínima vai depender do valor da

demanda contratada, quando for o caso.


Agora se uma empresa tem um consumo energético elevado e não possui demanda

contratada, seu potencial de economia e retorno do investimento são um dos maiores

do mercado.


O outro componente é o inversor, o “cérebro do sistema”. É o responsável

por compatibilizar a energia gerada pelo sol com o sistema de fornecimento da

concessionária.


Este aparelho é ligado ao sistema de módulos instalados no telhado, mas fica fixado

em um local mais discreto.


Tudo isso é projetado pela equipe de engenharia da empresa. No momento de optar

por um serviço, lembre-se de verificar instalações já realizadas pela empresa.

Cada detalhe da instalação, pode fazer diferença na eficiência do seu sistema.



CAPÍTULO 1


Tipos de sistema de energia solar


A primeira coisa que você precisa saber sobre o sistema de energia solar fotovoltaica é que existem dois tipos, sendo o OFF-GRID e o ON-GRID.


Vamos conhecer um pouco dos dois sistemas, isso permitirá que você possa concluir qual deles é o mais adequado para a sua casa:


SISTEMA SOLAR ON-GRID


Está conectado à rede elétrica geral, sendo ideal para gerar eletricidade para consumo local e destinar o excedente à “venda” para companhia de energia elétrica.


SISTEMA SOLAR OFF-GRID


Não é conectado à rede elétrica geral, sendo suficiente para abastecer uma demanda

menor e um uso local.


Esses sistemas se diferenciam um do outro devido ao total de energia gerado. Ou seja, o que os distingue é a capacidade de geração em Kwp (kilo-watt pico).


Por isso, quando você começa a pesquisar e tentar definir qual desses tipos é o mais adequado para sua propriedade, é preciso determinar – com ajuda profissional - a -

demanda média de energia requisitada pelo imóvel em que se pretende instalar a

energia solar fotovoltaica.


Essa demanda vai variar do número e tipo de aparelhos sustentados por

energia que existem no local.




TIPOS DE SISTEMA DE ENERGIA SOLAR


Apesar de a energia solar off-grid ainda estar presente em várias residências, o sistema que mais se destaca hoje no canário de tecnologia de energia solar é a energia solar fotovoltaica on-grid, e vamos te mostrar o porquê disso logo adiante.


Antes de conhecer das vantagens específicas do sistema on-grid, é importante saber que a energia solar fotovoltaica trouxe uma grande revolução na sociedade em termos

de fornecimento de energia elétrica.


Isso porque, a partir dessa invenção, começou a ser possível levar energia a lugares

antes isolados e que não eram atendidos pela rede geral de energia (aquela que chega

às nossas casas por meio dos fios das companhias de energia, como Eletropaulo-SP,

CEMIG-MG ou Coelba-BA).


Sendo assim, a princípio, essa tecnologia representou também uma perspectiva de

democratização do acesso à luz elétrica pela população em geral.


Nesse contexto inicial, o tipo de sistema solar que mais se difundiu foi o off-grid, em que a energia gerada a partir da incidência do sol nas placas solares fotovoltaicas

é armazenada em uma bateria e, assim, utilizada pelos equipamentos que consomem

energia, suprindo apenas a necessidade local.


Obviamente, a capacidade de geração em Kwp (kilo- watt pico) nesse sistema não é muito grande, sendo normalmente suficiente para alimentar parte da necessidade de uma casa, por exemplo.


Já na década de 1990, com o avanço de estudos e pesquisas na área da energia solar, começou a se difundir um outro tipo de sistema solar, diferente do descrito acima, que conectava as placas solares fotovoltaicos à rede pública de energia.


Assim, nasceu a energia solar on-grid.


CAPÍTULO 2


Como funciona o sistema ON-GRID





O sistema de energia solar fotovoltaica on-grid funciona da seguinte maneira:


Os painéis solares fotovoltaicos captam a luz do sol e geram energia de corrente

continua (CC);


Essa corrente continua (CC) gerada passa pelo inversor on-grid e é transformada em energia elétrica de corrente alternada (CA), que é a mesma energia fornecida pela distribuidora de energia.


Parte dessa energia elétrica gerada pelo inversor é consumida pelos aparelhos do lugar.


A parte excedente dessa energia é jogada na rede elétrica geral (e o dono dessa propriedade irá receber os créditos por isso).


Quem decide pela captação de energia solar instala os painéis que, expostos à luz do

Sol, fazem a absorção da energia neles contidos.


Essa energia é transportada por semicondutores para ser usada e transformada em energia elétrica.


Incentivar o uso de energia solar no Brasil é natural já que o país tem grande parte de seu território, boa incidência de luz solar.


Quando uma família opta pelo uso de energia solar, a primeira ação é comprar as placas fotovoltaicas e contratar um técnico ou uma empresa especializada em

sistema de energia solar fotovoltaica.


A vantagem de fazer captação de energia solar para residência é o ganho de independência na produção de energia consumida.

Isso significa ficar livre dos custos da conta de luz.

O painel é colocado no telhado para receber a luz do sol.


A energia produzida faz um caminho até o Inversor para ser transformada de corrente

continua para alternada, assim como a existente na rede elétrica. O sistema é ligado

ao quadro de luz.


Quando a energia solar produzida pelo seu sistema for maior que o consumo da casa,

essa energia “a mais” segue para a rede da distribuidora e isso gera crédito para você.


Os créditos da produção de energia podem ser utilizados em até 60 meses.


Diferente do que algumas pessoas podem pensar, por maior que seja o consumo de

em uma casa, não são necessárias muitas placas fotovoltaicas.


Para saber quantas placas serão necessárias para um fornecimento seguro é preciso

saber a média de fornecimento seguro é preciso.

A partir daí, chega-se à quantidade de placas indispensáveis.


A geração de energia solar não produz barulho como acontece em uma usina.

As placas não são geradores que, aliás, costumam ser barulhentos. Um sistema

residencial para captação de energia solar funciona da mesma forma que uma decide

que uma usina grande de energia solar.


Quem decide fazer uso desse tipo de energia, precisa adquirir um kit de energia solar residencial.

O kit é formado por painéis fotovoltaicos, inversor solar,estrutura de fixação, cabos

e conectores específicos.


O ideal e mais seguro é contratar um profissional para cuidar da instalação

para que você não corra algum tipo de risco.


CAPÍTULO 3


BENEFÍCIOS DA ENERGIA SOLAR ON-GRID


A energia solar proporciona inúmeros beneficios, mas vamos citar alguns

dos principais:


· Redução de custos com a diminuição da sua

conta de luz em até 95%.


· Valorização do seu patrimônio com o aumento de

até 8% no valor do seu imóvel.


· Autonomia na geração da energia elétrica da sua

casa ou estabelecimento.


· Contribuição com o meio ambiente devido ao

baixo impacto ambiental e produção de energia

limpa.


· Independência dos aumentos na conta de luz e

garantia de pleno fornecimento mesmo em casos

de racionamento de energia.


Além disso, proporciona também muitas vantagens:


ENERGIA SUSTENTÁVEL


A primeira vantagem do sistema fotovoltaico é que esse tipo de gerador utiliza

da mais abundante, gratuita e eficiente fonte de energia disponível. O Sol!


Isso torna o sistema fotovoltaico extremamente vantajoso e confiável em relação aos demais, pois diferentemente de outras fontes geradoras, como por exemplo, a


hidrelétrica ou à carvão e gás, o fotovoltaico depende exclusivamente da luz solar, que

é a maior fonte de energia que conhecemos.


NÃO GERA RUÍDOS OU POLUIÇÃO


A geração de energia elétrica através do sistema solar fotovoltaico acontece totalmente

sem ruído e sem poluição, pois a conversão da luz em energia ocorre através de processos fisicos e não mecânicos.


Isso significa que você pode instalar as placas solares (módulos fotovoltaicos) em qualquer lugar, sem incomodar.


BENEFÍCIOS DA ENERGIA SOLAR ON-GRID


FACILIDADE DE INSTALAÇÃO


A instalação de um sistema fotovoltaico é rápida e descomplicada.

Na maioria dos casos, as placas solares e o inversor grid- on e são fixados em estruturas já existentes nos imóveis (madeiramento e alvenaria, respectivamente) e, quando

necessário requerem apenas pequenas adaptações, como por exemplo a fixação de

eletrodutos e quadros elétricos de distribuição.


O funcionamento do sistema também é descomplicado.

Uma vez instalados e averiguados todos os componentes, o inversor já pode ser

configurado e ligado, e assim começara a gerar toda a energia elétrica projetada pelo

sistema.


MANUTENÇÃO QUASE INEXISTENTE


Outra vantagem que contribui para a valorização do sistema solar fotovoltaico

é que quando bem projetado e instalado, o sistema exige baixa manutenção tanto

preventiva, quanto corretiva.




A lavagem dos módulos é simples, sendo apenas com água e sabão a cada 6 meses.

A averiguação das condições de atuação dos dispositivos de proteção, condições como

disjuntores e fusíveis, já é o suficiente para garantir o ótimo funcionamento do sistema

fotovoltaico.


LONGA VIDA ÚTIL DO SISTEMA


Um sistema solar fotovoltaico possui mais de 25 anos de vida útil, gerando energia elétrica limpa, sustentável e de qualidade, sem prejudicar o meio ambiente.


RETORNO FINANCEIRO


Financeiramente, o sistema é extremamente viável, já que o retorno monetário

por decorrência de sua instalação é rápido.


Em linhas gerais, um sistema solar fotovoltaico instalado em uma residência se paga

em até 6 anos após sua instalação.


A partir dessa data, todo o retorno financeiro passa a ser lucro, pelos próximos

19, 20 anos ou até mais, pois ainda após esse período, os módulos permanecem com

cerca de 80% de eficiência.


BENEFÍCIOS DA ENERGIA SOLAR ON-GRID


Como você pôde perceber, o sistema solar on-grid é mais completo, por isso mesmo, permite produzir energia para consumo próprio e também “vender” o que não foi consumido para a distribuidora de energia.


. É um sistema bem simples de se instalar, desde que com suporte técnico.


. Não é necessário investir em baterias de armazenamento, que são caras.


. Haverá uma grande redução na conta de luz do imóvel, gerando economia.


. Gerará renda extra devido à “venda” do excedente de energia não consumido.


. O investimento realizado na instalação será revertido em pouco tempo.


. A tecnologia instalada é muito durável (os painéis solares e demais equipamentos têm longa vida útil).

. Reduz as emissões de carbono, contribuindo com o meio ambiente.



CAPÍTULO 4


COMO FUNCIONA A LEGISLAÇÃO


Vamos falar agora sobre a legislação por trás da energia solar residencial, seus incentivos e regras para utilizar da melhor forma possível seus painéis e entender o

o processo de geração de energia.


Os créditos de energia solar são o resultado do excesso de energia produzida pelo seu sistema.


Esses créditos são utilizados quando você consome a energia fornecida pela rede distribuidora (no período noturno, por exemplo).


Todos os consumidores que compram energia da distribuidora podem aderir ao sistema de créditos, trazendo beneficios a todos.


Esse sistema foi regulamentado em 2012 pela ANEEL (através da RN428/12), garantindo o direito de todos os consumidores e a obrigatoriedade de todas as distribuidoras de obedecer a essas normas e trabalhar com a estratégia de

compensação de energia.


LEI DE INCENTIVO


O sistema de crédito de energia é uma ferramenta excepcional criada para dar suporte a todo cidadão que desejar adotar métodos de produção de energia solar, seja em casa

ou na sua empresa.


Com o passar dos anos, a produção de energia solar caseira conseguiu

diversos incentivos para que se tornasse mais acessível entre os brasileiros.


Em 2015, foi aprovado pelo senado um projeto que garantia a instalação de novas plantas de geração e micro geração com isenção de vários impostos, bem como

abatimento nas contas de luz.


Podemos concluir que além de beneficiar diretamente o bolso do consumidor e ajudar

as distribuidoras por meio dos créditos de energia, a energia solar é uma forma sólida

e confiável de investimento para você, residência e/ou empresa e, claro, para o meio ambiente.


COMO FUNCIONA A LEGISLAÇÃO


Para que você possa compreender de maneira clara, separamos algumas informações

importantes:


POTENCIAIS CONSUMIDORES


Todo consumidor cativo tem total direito para aderir ao sistema de créditos, incluindo

residências e pequenas empresas.


MEDINDO A ENERGIA EM EXCESSO


Para medir toda energia em excesso, a distribuidora instala um novo relógio de luz,

chamado relógio bidirecional.


Esse aparelho vai medir a energia consumida da rede e a que você

produziu em excesso e injetou na rede.


TAMANHO PERMITIDO PARA INSTALAÇÃO


A potência máxima permitida é de 5.000kWp (aproximadamente 35.000m² de painéis solares), ou seja, total liberdade para você que quer instalar na sua casa ou empresa.

No que isso interfere na conta de energia elétrica?


A sua conta será reduzida e vai variar dependendo da quantidade de energia que você produzir e deixar de consumir da distribuidora.

Você poderá reduzir até 95% do valor da conta ( mas a mesma nunca poderá ser zerada).


CAPÍTULO 5



COMO FUNCIONAM OS CRÉDITOS DE ENERGIA


Ao adotar o sistema de geração de energia solar em sua residência ou empresa

(instalando os painéis e o inversor solar que alterna a corrente continua e a

equaliza com a frequência do seu estabelecimento),você produzirá uma quantidade

considerável de energia, até mais do que conseguirá consumir.

Quando isso acontecer, ela será redirecionada para a rede de distribuição,

gerando um “crédito de energia”.


Ou seja, os créditos são uma compensação para você produzir sua própria energia e ainda produzir sua própria energia e ainda contribuir para o abastecimento da distribuidora local.


De acordo com a regulamentação criada pela ANEEL, qualquer consumidor ativo

pode usufruir desse beneficio, ou seja, todo cidadão que compra sua energia

energia diretamente da distribuidora.



POTÊNCIA MÁXIMA PERMITIDA


A potência máxima que se pode instalar é de 5.000 kWp (aproximadamente 35.000 m²

de painéis solares).


Total liberdade para estabelecimentos domésticos e empresariais.


CRÉDITOS


Todos os créditos oriundos da produção de energia podem ser utilizados em até 60 meses.


COMPARTILHAMENTO DE CRÉDITOS


Todo crédito gerado consegue ser transferido entre propriedades, mesmo que com CPF

ou CNPJ diferentes. O único requisito é que tudo seja acordado em

contrato.


COMO FUNCIONAM OS CRÉDITOS DE ENERGIA


AUTOCONSUMO REMOTO


A ANEEL permite que você produza energia em um local diferente daquele que

consome, por meio do autoconsumo remoto.


Dessa forma, consumidores que não possuem espaço suficiente em seus

estabelecimentos residenciais ou comerciais podem produzir a energia e ter

abatimento mesmo sem espaço fisico.


GERAÇÃO DE ENERGIA EM CONDOMÍNIOS


Outra maneira de compartilhar a energia gerada é entre condomínios diferentes.


A produção pode ser usada tanto para áreas em comum como nas contas de luz

dos condôminos.


SISTEMA DE CRÉDITOS DE ENERGIA SOLAR –

ADEQUAÇÕES NECESSÁRIAS COM O RELÓGIO DE

MEDIÇÃO


Para aqueles que desejam adquirir os painéis e usufruir dos créditos de energia solar, existem algumas adequações que devem ser feitas.



A principal delas é o relógio bidirecional, que serve para medir o que você consome

e o que gerou em abundância.


Superficialmente, o valor desse equipamento pode soar um pouco caro, mas é importante ressaltar que a distribuidora ficará responsável por toda a parte de

manutenção e custos de substituição e adequação ao sistema de sua casa ou empresa.


COMO FUNCIONAM OS CRÉDITOS DE ENERGIA


Resumindo, caso você produza mais energia do que está consumindo, a energia excedente vai para a rede de energia da distribuidora e gera crédito de energia (kWh).

O crédito pode ser utilizado em algum outro dia que você produza menos energia do

que está consumindo.


Podem ser utilizados automaticamente quando você consome a energia da rede da

distribuidora, como durante a noite.


A compensação é realizada a partir da energia excedente injetada pelo micro ou mini

gerador na rede da distribuidora de energia.





CAPÍTULO 6


Componentes do equipamento de energia solar


COMPONENTES DO EQUIPAMENTO DE ENERGIA SOLAR

MÓDULO FOTOVOLTAICO


O módulo fotovoltaico é a unidade mais importante de um sistema fotovoltaico.

Consiste em células solares conectadas, que convertem a luz do sol diretamente

em eletricidade.


Isso é encaminhado por cabo até o Inversor e depois segue direto a todos os equipamentos eletrodomésticos, lâmpadas, motores, entre outros eletrodomésticos

da residência ou empresa ligados à rede elétrica.


Existem basicamente dois tipos de módulos solares: o policristalino e o monocristalino.


Diferentes processos de fabricação diferenciam os módulos fotovoltaicos policristalinos e monocristalinos,tanto em preço e desempenho quanto em aparência.


O módulo monocristalino consiste em silício puro, possui uma superficie uniforme,

em conjunto com uma coloração azul escuro ao preto.

Já o módulo policristalino, possui uma estrutura de superficie com diferença nas bordas

individuais de cristal.


Eles são ligeiramente mais leves que os módulos monocristalinos e têm uma tonalidade azulada.


Ambos os módulos monocristalinos e policristalinos consistem em silício cristalino,

que é obtido a partir de areia de quartzo.



As células solares monocristalinas contem silício cristalino puro. O primeiro passo de produção é, portanto, a extração de silício puro. Posteriormente, o silício é retirado da massa fundida sob a forma de uma haste.


Isso é dividido em fatias finas, as chamadas bolachas.

No próximo passo, a super􀄰cie da célula solar é alterada para que o efeito fotovoltaico seja possível.


Finalmente, são aplicados contatos elétricos e uma camada reflexiva.

Para módulos policristalinos, um bloco de silício é lançado pela primeira vez.

Após o resfriamento do bloco, formam-se estruturas de cristal de diferentes

tamanhos. A partir deste bloco, as fatias individuais são cortadas cada disco é

uma célula solar. As células são finalmente combinadas para formar um módulo solar.


No passo final, as células solares cristalinas também são fornecidas com contatos elétricos e a camada reflexiva.



COMPONENTES DO EQUIPAMENTO DE ENERGIA SOLAR INVERSOR


Outra parte do sistema solar, como citamos, é o inversor.


O inversor do sistema fotovoltaico tem a função de converter a corrente

continua gerada nos módulos fotovoltaicos em corrente alternada.


Isso é necessário porque a rede é alimentada por energia Corrente Alternada (CA).


Além disso, os inversores modernos assumem inúmeras outras funções, como a otimização do desempenho de módulos fotovoltaicos.

Para isso, o inversor sempre escolhe a combinação de corrente e tensão na qual

a potência máxima é tomada (MPP = Ponto de Potência Máximo).


SISTEMA DE MONITORAMENTO


Dependendo do tipo de equipamento, o sistema de monitoramento já vem integrado.


E tem como função principal documentar regularmente a geração de energia em tempo

real, e poder visualizar seus ganhos de qualquer lugar.


Isso permite também que as falhas do sistema identificadas rapidamente.


Ao mesmo tempo, você pode usar os dados para otimizar seu próprio consumo.


FIAÇÃO


Os cabos (CC-Corrente Continua) de um sistema solar fotovoltaico (por permanecerem

expostos ao clima, devem cumprir padrões elevados de qualidade) conectam os módulos entre si, até chegar no Inversor, e este ao QGD (Quadro Geral de Distribuição/CA) que é o responsável por abastecer todos os circuitos das instalações.



COMPONENTES DO EQUIPAMENTO DE ENERGIA SOLAR

ESTRUTURAS DE FIXAÇÃO DOS PAINÉIS


Para a montagem de um sistema fotovoltaico são u􀆟lizados sistemas de fixação com materiais de alta qualidade (alumínio/aço inox) e vários modelos, dependendo apenas

do tipo de telhado.


TIPOS DE SISTEMAS DE MONTAGEM


· Sistemas de telhados – Cerâmicos/Metálicos/Fibrocimento


· Sistemas montados sobre laje


· Sistemas de montagem ao ar livre/solo


Os sistemas de montagem sobre telhado, (Cerâmicos/Metálicos/Fibrocimento) geralmente são fixados por ganchos (aço inox) no madeiramento, dependendo

do tipo de telhado, assim os módulos são integrados à superficie do mesmo.


Os sistemas de montagem sobre laje, caracteriza-se por suportes (triângulos de alumínio) com capacidade de suportar os módulos em um ângulo de 10 a 20 graus,

preferencialmente sempre voltados para o “Norte”.


Sistemas de montagem ao ar livre caracterizam-se também, por suportes específicos e reforçados, que serão fixados ao solo, adequando-os para montagem dos módulos

fotovoltaicos.


MEDIDOR BIDIRECIONAL


O medidor tem a função de medir a quantidade de energia gerada a partir do sistema fotovoltaico, e a de medir o consumo de energia das instalações.


O medidor bidirecional é fornecido pela concessionária sem nenhum custo ao proprietário.


CAPÍTULO 7


COMO FINANCIAR


FINANCIAMENTO PELO BNDES


O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) oferece acesso às

pessoas fisicas para financiamentos de sistemas energia solar fotovoltaicas.


Os recursos são contratados em operações indiretas apenas por meio de bancos públicos.


Essa facilidade visa ceder acesso a esse tipo de equipamento para qualquer

cidadão que deseje instalá - lo em sua casa, sobrado ou condomínio.


Esses recursos fazem parte do programa Fundo Clima, que é destinado aos

projetos de mobilidade urbana, cidades sustentáveis, resíduos sólidos, energias

renováveis, máquinas e equipamentos eficientes e outras iniciativas de inovação.


E visa ceder linhas de financiamento para projetos com altos índices de eficiência energética ou que contribuam para reduzir a emissão de CO2 e gases poluentes.


O programa permite carência de 3 a 24 meses, com prazo máximo de 144 meses.

A vigência para adesão vai até 28 de dezembro de 2018.


Com isso, abre-se uma nova oportunidade para quem deseja usufruir de todos

os beneficios da energia solar, com facilidade para aquisição do equipamento.


Agora você pode contar com linhas de crédito para ter o seu sistema de energia

solar na sua casa. Energia limpa e renovável ao alcance de todos.


COMO FINANCIAR


FINANCIAMENTO POR BANCOS PRIVADOS


CAIXA ECONÔMICA - CONTRUCARD CAIXA


BANCO DO BRASIL- BB CRÉDITO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO


BNDES - FINAME


SANTANDER - FINANCIAMENTO PARA SUSTENTABILIDADE



CAPÍTULO 8



Painel solar as vantagens de cada tipo


Considerado o coração do sistema de energia solar fotovoltaico, opainel solar

pode ser encontrado de diversas maneiras no mercado.


As placas solares são as responsáveis por absorver a luminosidade do sol e

transformá-la em energia. Portanto, são peça-chave na geração independente

de energia elétrica a partir de uma fonte limpa, renovável e inesgotável.



Painel solar monocristalino


Produzido à base de silício, nos módulos monocristalinos as células são obtidas

a partir do crescimento de um único cristal de silício. O cristal crescido assume

formato oval, o que exige que as células sejam cortadas em um padrão distinto,

conferindo uma aparência reconhecível: as células possuem seus cantos cortados.

O rendimento – a eficiência energética – normal dos painéis monocristalinos é de

cerca de 18,5%.


É um produto que requer um alto grau de tecnologia. Portanto, um tipo de placa

solar que requer um pouco mais de investimento, tendo em vista que o custo de

produção é mais alto. Esse modelo de placa solar tem uma durabilidade atrativa,

assim como a policristalina.


Ponto positivo? Os monocristalinos possuem uma eficiência pouco maior que os

policristalinos. Este tipo de painel se comporta um pouco melhor em temperaturas

mais elevadas e em condições de pouca luminosidade se comparado aos painéis

policristalinos.


Ponto negativo? Em geral, esse tipo de placa solar demanda um investimento

maior. Essa característica não se trata exatamente de um ponto negativo. Mas,

caso o custo seja uma preocupação do usuário, o policristalino pode ser mais

interessante.


Painel solar policristalino


Os painéis policristalinos são produzidos a partir de um processo mais simples

do que os monocristalinos. Neste tipo de placa solar, as células são feitas a partir

de vários cristais de silício. O sistema produtivo deste módulo, mais em conta do

que o monocristalino, torna-o mais barato para o consumidor. Em razão da forma

de produzi-lo, o módulo solar policristalino costuma ter uma cor azul e apresenta

um formato quadrado.


O eficiência média dos painéis policristalinos é de cerca de 17,5%, um pouco abaixo

da placa monocristalina.

Atualmente, há módulos policristalinos que apresentam eficiência muito próxima

a dos monocristalinos, isto devido a constantes evoluções tecnológicas nos processos

de fabricação deste tipo de painel.


Sendo assim, a eficiência não se torna um fator decisivo no momento de escolher

um módulo fotovoltaico para sua instalação.


Ponto positivo? Painéis policristalinos saem mais em conta que os painéis

solares monocristalinos.


Ponto negativo? Por conta da menor pureza do cristal, a eficiência de painéis

solares policristalinos é um pouco menor do que os monocristalinos.


Painel solar de filme fino


A essência deste tipo de placa solar é o depósito de uma ou várias camadas

finas de material fotovoltaico sobre um substrato. Esses módulos também são

chamados de células fotovoltaicas de película fina (TFPV). Os diferentes tipos

painéis solares de filme fino podem ser categorizados por material fotovoltaico

que é depositado sobre o substrato. São eles: Silício amorfo (a-Si), Telureto

de cádmio (CdTe), Cobre, índio e gálio seleneto (CIS / CIGS), Células solares

fotovoltaicas orgânicas (OPV).


Dependendo da tecnologia de célula fotovoltaica de filme fino utilizada na placa,

os módulos possuem eficiências médias entre 7 e 13%. Apesar de ser considerado

baixo, algumas tecnologias de painel de filme fino já estão chegando nos 16%.

Isto é: chegando à eficiência dos painéis policristalinos. Em geral, são menos

utilizados para sistemas de microgeração.

Seu processo produtivo em massa é simples o que os tornaria potencialmente

mais baratos do que os módulos de silício.


Porém ainda são mais caros e aplicados em sistemas residenciais e industriais.

Podem ser fabricados em filmes flexíveis.


Este tipo de painel são uma ótima opção para projetos que requerem pouco peso

e flexibilidade como: fachadas, janelas, vidros, paredes, roupas, etc.



Telhas solares


Ainda incipientes no Brasil, as telhas solares são outra forma de produzir sua própria energia.

Lançados recentemente pela Tesla, a telha solarsubstitui a telha tradicional e, como diferencial, converte a luz solar em eletricidade. Neste caso as células fotovoltaicas

são encapsuladas em vidro no formato de telhas que substituem suas telhas comuns

e ainda geram energia. Além disso, confere uma resistência mecânica superior as telhas

tradicionais.


As telhas de vidro solares, de acordo com a Tesla, são tão resistentes que dispõem da mesma vida útil da sua casa ou até mesmo infinita.


Não é algo totalmente novo de fato.

Outros fabricantes já se aventuraram neste segmento- empresas como


Dow, Sharp, Kyocera, Sunpower e Suntech.

Todas, porém,acabaram saindo deste segmento de alguma maneira


Agora com a Tesla e Solarcity, quem sabe a tecnologia avance e torne-se referência para o mercado.




CAPÍTULO 9


Os benefícios do uso da energia fotovoltaica


E todos os equipamentos juntos, como fica?


Como funciona dentro do imóvel?


PAINEL SOLAR: Células fotovoltaicas convertem a luz do sol em eletricidade de corrente

contínua (C.C.).


INVERSOR: A eletricidade de corrente contínua (C.C.) é transformada em corrente

alternada (C.A.).


SISTEMA DE MONITORAMENTO:


Permite acompanhar os dados de geração de energia, de economia em R$ e os

benefícios ao meio ambiente em tempo real.


QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO:


A eletricidade do inversor passa pelo quadro geral de distribuição e depois é

utilizada pelos equipamentos elétricos da propriedade.


MEDIDOR BIDIRECIONAL: Mede a quantidade de energia injetada na rede e a energia


consumida da rede. Economia e fim dos aumentos na conta de luz


Por utilizar uma fonte renovável de energia, o sol, a demanda de energia virá de forma

limpa, sem custos.


Portanto, a conta de luz, no fim do mês, passa a vir somente com a cobrança mínima

exigida pela concessionária. Passa a vir somente com a cobrança


Para o bolso, faz uma diferença significativa.



Comprometimento com a sustentabilidade


O sol nunca nos abandona. Por vezes com mais, por vezes com menos força, ele sempre

está presente. Portanto, a fonte da geração de energia é infinita e renovável.

Ao contrário do sistema tradicional de geração de energia no país, que utiliza o represamento de água e depende do bom nível de chuvas, a energia fotovoltaica não

agride a natureza. Gerar a pŕopria energia é deixar o legado de um planeta habitável para as próximas gerações.


Investimento rentável


Mais vantajoso do que renda fixa.

Por conta da vida útil do sistema (no mínimo, 25 anos de durabilidade) e dos constantes reajustes na conta de luz, o investimento em sistema fotovoltaico tornou-se muito atraente.


A energia


Solar não é só sustentabilidade:


É uma opção viável e rentável de investimento


Valorização do imóvel


Na hora de pagar por uma casa, por qual você optaria? Por uma que possui uma

alta tarifa de energia ou uma que possui um sistema moderno geração própria de energia e que só paga o mínimo da conta de luz? Um imóvel com sistema de energia solar pode receber valorização de cerca de 10%. E essa lógica também serve para empresas.



CAPÍTULO 10


CONCLUSÃO


O Brasil é um País perfeito para aproveitar os bene􀄰cios da energia solar.

O sistema de energia fotovoltaico está relacionado à luz do sol e no Brasil temos as condições climáticas ideais para uma boa produção de energia renovável, fazendo

com que instalar o sistema seja um ótimo investimento.


O sistema solar é uma forma eficaz de investimento ao longo prazo, uma vez que, os ganhos proporcionados pelo boa produção de energia renovável, fazendode luz, e

ainda, pode gerar lucro.


A cada dia mais pessoas e empresas investem em sistemas fotovoltaicos devido aos beneficios trazidos pela fonte solar.



Quer ficar bem informado(a) sobre nossos informativos, e interagir com a gente? Cadastre-se grátis e esteja sempre por dentro de todos os nossos conteúdos www.limpezasolar.com.br

Comments


bottom of page